Itinerância do Museu da Língua Portuguesa desvenda o significado dos nomes dos 645 municípios paulistas

Uma nova itinerância do Museu da Língua Portuguesa – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – começará sua viagem desvendando a formação e a divisão de São Paulo em unidades menores (municípios) e contando o significado dos nomes que possuem. A mostra intitulada “Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas” estreia em Itápolis, no dia 2 de setembro.

Idealizada por Antonio Carlos de Moraes Sartini, Diretor do Museu da Língua Portuguesa, a exposição surgiu a partir do livro de mesmo nome escrito pelo jornalista e artista plástico Enio Squeff, em coautoria com Helder Perri Ferreira, em 2004. “Essa exposição será uma viagem pelas origens do povo paulista. Marca presente de nossas itinerâncias, a grande interatividade do público com mídias digitais e elementos cenográficos promoverá uma experiência única aos visitantes”, declara Sartini. “As palavras dizem mais do que seu primeiro sentido. Desvendar a origem dos topônimos não exprime os mistérios das cidades, mas indica a poética possível da sua existência, o que inclui sua história e geografia”, acrescenta Squeff, responsável pelo levantamento realizado com 645 municípios e que também assina a curadoria de “Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas”.

A mostra é realizada pelo Governo do Estado de São Paulo e conta com Proac – Programa de Ação Cultural da Secretaria da Cultura; do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, organização social de cultura que gere o Museu da Língua Portuguesa; da Arquiprom, proponente e produtora do projeto e da Tudo Cultural. E possui patrocínio da Comgás e da Syngenta, e apoio local da Prefeitura do Município de Itápolis.

A Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas em Itápolis

Em cartaz no Centro de Convivência da Secretaria de Cultura, de 2 a 30 de setembro, com entrada franca, a exposição que aproximará o visitante da cidade onde mora, ou escolheu morar, explora seis temas:

– O que é um município? Como se forma, como se nomeia?

– Os topônimos: a grande influência das línguas indígenas.

– A fé católica – os santos de devoção viram nomes de cidades

– Os personagens e as homenagens.

– O nome dos municípios.

– Quem nasce aqui, chama como?

Fernando Arouca, arquiteto sócio da Arquiprom, antecipa que serão 70 m² distribuídos em quatro contêineres/display especialmente projetados para receber o conteúdo expositivo. Os destaques ficam para duas telas touchscreen. Em uma delas as pessoas poderão criar suas cidades ideais, escolhendo se ficarão no campo ou na praia, a base da economia, sua arquitetura, e outras peculiaridades. O outro grande painel representará uma versão digitalizada do livro de Enio Squeff, onde estarão catalogados os 645 municípios do estado e seus respectivos topônimos.

“Além dos painéis, o passeio conta com diversos elementos cenográficos com informações curiosas sobre os municípios paulistas, além de reproduções de aquarelas de Enio Squeff”, revela Arouca. Essas peças vão informar, por exemplo, que cerca de 1/3 dos nomes das cidades têm alguma influência indígena; mais de 40 carregam o nome de alguma personalidade histórica; e pelo menos 59 ostentam nomes de santos da Igreja Católica.

ITÁ+POLIS
A primeira cidade a receber a Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas é composta pelo substantivo “itá” (pedra, em tupi) ao qual se adicionou a palavra grega “polis”. Mas seu significado vai além de simplesmente “Cidade das Pedras”.

O tupinólogo Helder Perri Fereira explica que Itápolis sempre incluiu a palavra “pedra” em seu nome – desde Espírito Santo do Córrego das Pedras a Boa Vista das Pedras, e até simplesmente Pedras. Na sua elevação a município entra justamente a história e a constatação de que foi constituída por falantes do português. “Deve-se a eles a criação de um topônimo híbrido, formado por palavras do tupi e do grego, na forma com que se introduziram no português”, explica o estudioso.

Serviço

Local: Centro de Convivência da Secretaria de Cultura – Avenida Presidente Valentim Gentil, 735
Inauguração para imprensa: 1º de setembro, às 9h.
Visitação do público: 2 a 30 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas
Entrada gratuita
Agendamento de excursões e turmas escolares: (16) 3262-2218

 

Informações à imprensa

 

Comunicare

Vivian Teixeira vivian@comunicareonline.com.br

Marcelo Dias marcelo@comunicareonline.com.br

(11) 5594 4174

 

Mais informações à imprensa

 

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa
Viviane Ferreira (11) 3339-8243 | viferreira@sp.gov.br
Gisele Turteltaub (11) 3339-8162 | gisele@sp.gov.br