Institucional

Inaugurado oficialmente no dia 20 de março, o Museu da Língua Portuguesa abriu suas portas ao público no dia 21 de março de 2006. Em 10 anos de funcionamento  quase 4 milhões de pessoas  visitaram o espaço, consolidando-o como um dos museus mais visitados do Brasil e da América do Sul.

O Museu contou com uma equipe de criação e pesquisa composta por mais de trinta profissionais qualificados, dentre eles sociólogos, museólogos, especialistas em língua portuguesa e artistas que trabalharam sob a orientação da Fundação Roberto Marinho, instituição conveniada ao Governo do Estado de São Paulo responsável pela concepção e implantação do museu.

Dedicado à valorização e difusão do nosso idioma (patrimônio imaterial), o Museu da Língua Portuguesa apresenta um formato expositivo diferenciado das demais instituições museológicas do país e do mundo, usando tecnologia e recursos interativos para a apresentação de seus conteúdos.

Os principais objetivos do Museu da Língua Portuguesa são:

– mostrar a língua como elemento fundamental e fundador da nossa cultura;

– celebrar e valorizar a Língua Portuguesa, apresentada suas origens, história e influências sofridas;

– aproximar o cidadão usuário de seu idioma, mostrando que ele é o verdadeiro “proprietário” e agente modificador da Língua Portuguesa;

– valorizar a diversidade da Cultura Brasileira;

– favorecer o intercâmbio entre os diversos países de Língua Portuguesa;

– promover cursos, palestras e seminários sobre a Língua Portuguesa e temas pertinentes;

– realizar exposições temporárias sobre temas relacionadas à Língua Portuguesa e suas diversas áreas de influência.

Nestes anos de funcionamento foram realizadas mais de 30 exposições temporárias, além de cursos, palestras, debates e apresentações de artes.

O serviço educativo da Instituição se consolidou como um exemplo para outras instituições no Brasil e no Exterior, promovendo atividades de qualidade e sempre de forma inovadora.

No dia 21 de dezembro de 2015, infelizmente, as instalações do Museu foram atingidas por um incêndio de grandes proporções o que obrigou o fechamento do espaço para a visitação pública. Entretanto, a instituição continua viva, promovendo ações educativas, exposições itinerantes e atuante nas Redes Sociais.

As obras emergenciais para estabilização do edifício começaram apenas 48 horas após o incêndio. E, no dia 21 de janeiro de 2016, o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, assinou convênio com a Fundação Roberto Marinho e a organização social ID Brasil visando à união de esforços para a reconstrução do museu.