Últimos dias para visitar a exposição “Origem dos nomes dos Municípios Paulistas”, em Itápolis

 “Origem dos nomes dos Municípios Paulistas” – Itápolis

Campos de Jordão é a próxima cidade a receber a itinerância do Museu da Língua Portuguesa, que desvenda o significado dos nomes dos 645 municípios paulistas

 

Em exibição até o dia 30 de setembro, a exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, se despede do Centro de Convivência da Secretaria de Cultura de Itápolis e prossegue viagem. A próxima parada da mostra Origem dos nomes dos Municípios paulistas é Campos de Jordão.

“Nestes últimos dias, quem já visitou e aqueles que ainda não conhecem a exposição têm a oportunidade de saber mais sobre os mistérios, a poesia, história e geografia dos 645 topônimos dos municípios do estado de São Paulo”, convida Antonio Carlos de Moraes Sartini, Diretor do Museu da Língua Portuguesa. Desde a inauguração, a mostra recebeu mais de 1,6 mil visitantes.

Idealizada por Sartini, a mostra surgiu a partir do livro de mesmo nome escrito pelo jornalista e artista plástico Enio Squeff, em coautoria com Helder Perri Ferreira, em 2004.

A exposição é uma realização do Governo do Estado de São Paulo e conta com Proac – Programa de Ação Cultural da Secretaria da Cultura; do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura que gere o Museu da Língua Portuguesa; da Arquiprom, proponente e produtora do projeto e da Tudo Cultural. E possui patrocínio da Comgás e da Syngenta, e apoio local da Prefeitura do Município de Itápolis.

 

A Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas em Itápolis

Com entrada franca, a exposição que aproxima o visitante da cidade onde mora, ou escolheu morar, explora seis temas:

– O que é um município? Como se forma, como se nomeia?

– Os topônimos: a grande influência das línguas indígenas.

– A fé católica – os santos de devoção viram nomes de cidades.

– Os personagens e as homenagens.

– O nome dos municípios.

– Quem nasce aqui, chama como?

 

São 70 m² distribuídos em quatro contêineres/display especialmente projetados para receber o conteúdo expositivo. Os destaques ficam para duas telas touchscreen. Em uma delas as pessoas podem criar suas cidades ideais, escolher se ficarão no campo ou na praia, a base da economia, sua arquitetura, e outras peculiaridades. O outro grande painel representa uma versão digitalizada do livro de Enio Squeff, onde estão catalogados os 645 municípios do estado e seus respectivos topônimos.

Além dos painéis, o passeio conta com diversos elementos cenográficos com informações curiosas sobre os municípios paulistas, além de reproduções de aquarelas de Enio Squeff. Essas peças informam, por exemplo, que cerca de 1/3 dos nomes das cidades têm alguma influência indígena; mais de 40 carregam o nome de alguma personalidade histórica; e pelo menos 59 ostentam nomes de santos da Igreja Católica.

 

ITÁ+POLIS
O nome da primeira cidade a receber a “Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas” é composta pelo substantivo “itá” (pedra, em tupi) ao qual se adicionou a palavra grega “polis”. Mas seu significado vai além de simplesmente “Cidade das Pedras”.

O tupinólogo Helder Perri Fereira explica que Itápolis sempre incluiu a palavra “pedra” em seu nome – desde Espírito Santo do Córrego das Pedras a Boa Vista das Pedras, e até simplesmente Pedras. Na sua elevação a município entra justamente a história e a constatação de que foi constituída por falantes do português. “Deve-se a eles a criação de um topônimo híbrido, formado por palavras do tupi e do grego, na forma com que se introduziram no português”, explica o estudioso.

 

Sobre o Museu da Língua Portuguesa

As instalações do Museu da Língua Portuguesa foram atingidas por um incêndio de grandes proporções no dia 21 de dezembro de 2015, o que obrigou o fechamento do espaço para a visitação pública. Entretanto, a instituição continua viva, promovendo ações educativas e exposições itinerantes.

Em janeiro de 2016, foi firmado convênio entre a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho e a organização social ID Brasil, com o objetivo de reconstruir o Museu da Língua Portuguesa no menor prazo possível. Com esse mesmo objetivo, em 21 de março, o Governo do Estado de São Paulo e a Fundação Roberto Marinho deram início a uma articulação junto à iniciativa privada para formar uma aliança solidária em apoio à reconstrução e restauro das áreas afetadas pelo incêndio, contemplando, também, atualizações da concepção curatorial, expográfica e do projeto de acessibilidade.

Ainda no âmbito do convênio firmado, foram realizadas ações emergenciais no prédio histórico da Estação da Luz, onde o Museu funciona, a fim de preservar o conjunto arquitetônico protegendo das chuvas e retirando os escombros para liberar os espaços para os trabalhos de restauro e recuperação.

 

Serviço “Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas”

Local: Centro de Convivência da Secretaria de Cultura – Avenida Presidente Valentim Gentil, 735
Visitação do público: 2 a 30 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas
Entrada gratuita
Agendamento de excursões e turmas escolares: (16) 3262-2218 

 

Informações à imprensa

 Comunicare

Vivian Teixeira vivian@comunicareonline.com.br

Marcelo Dias marcelo@comunicareonline.com.br

(11) 5594 4174 

Mais informações à imprensa

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa 

Viviane Ferreira (11) 3339-8243 | viferreira@sp.gov.br

Gisele Turteltaub (11) 3339-8162 | gisele@sp.gov.br