Museu da Língua Portuguesa participa do Dia Mundial do AVC

No dia 29 de outubro, o relógio da Estação da Luz, sede da instituição, ficará iluminado com a cor azul das 18h às 23h para alertar sobre a importância do socorro ágil contra esta doença 

Museu da Língua Portuguesa, instituição a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, participa do Dia Mundial do AVC nesta sexta-feira, dia 29 de outubro. Das 18h às 23h, o relógio da Estação da Luz, sede do Museu, ficará iluminado com a cor azul a fim de alertar sobre a importância do socorro ágil contra esta doença, que mata três pessoas a cada hora no Brasil. 

Como no combate ao AVC cada minuto tem valor imensurável no salvamento de uma vida, relógios instalados em diversos pontos turísticos de várias partes do mundo, além do da Estação da Luz, estarão iluminados com a cor azul, em 29 de outubro. Além disso, nos trens e metrôs da capital paulista e do Rio de Janeiro, a campanha “Combatendo o AVC”, encabeçada em solo brasileiro pela Rede Brasil AVC, vai veicular mensagens de conscientização e prevenção aos milhares de passageiros que passam por suas estações diariamente. Outras empresas e entidades também se unirão à disseminação de informações a respeito do combate ao problema. Eventos on-line também acontecerão, entre os dias 26 e 29.  

O AVC (Acidente Vascular Cerebral) é a segunda maior causa de mortalidade no Brasil. Neste ano, de janeiro a agosto, 18.141 brasileiros morreram em decorrência do problema, segundo o DataSUS. O número equivale a três casos fatais a cada hora e é 7% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.  

Ainda nos primeiros oito meses deste ano, o SUS contabilizou 112.047 internações por AVC. Em todo o ano de 2020, foram 172.285 hospitalizações e 25.269 óbitos. Estudos indicam que uma em cada quatro pessoas terá a doença ao logo da vida. 

“A cada minuto que o AVC isquêmico não é tratado, a pessoa perde 1,9 milhão de neurônios. Por isso, identificar rapidamente os sinais do AVC e o socorro ágil evitam o comprometimento mais grave que pode deixar sequelas permanentes, como redução de movimentos, perda de memória, prejuízo à fala. Fora que diminui drasticamente o risco de morte”, explica a presidente da Rede Brasil AVC e presidente-eleita da World Stroke Organization (Organização Mundial de AVC), Sheila Cristina Ouriques Martins.  

“Algumas coisas podem esperar, o AVC não, cada minuto conta”, completa. 

Entre as características de alerta mais comuns estão o sorriso caído, o braço fraco e a fala enrolada. Outras situações que merecem atenção são formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo; confusão mental, alteração na visão, no equilíbrio, na coordenação e no andar; e tontura e dor de cabeça súbitas, intensas, sem causa aparente. “Ao identificar algum desses pontos, o SAMU [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência], por meio do telefone 192, deve ser imediatamente acionado, e os socorristas deverão ser informados que se trata de um AVC. A identificação precoce dos sintomas e o tratamento médico imediato em um Centro de AVC intensificam consideravelmente a recuperação”, salienta a especialista. 

 

Tipos de AVC
Existem dois tipos de AVC: o isquêmico, que ocorre quando falta sangue em alguma área do cérebro, e o hemorrágico, quando um vaso (do tipo artéria, raramente uma veia) rompe.  

Além da necessidade de educar a população quanto aos sinais de alerta do AVC e da urgência do tratamento, a campanha também reforça o controle dos fatores de risco. “Em 90% dos casos, o AVC é causado por pressão alta, diabetes, colesterol elevado, doenças do coração como arritmias, obesidade, sedentarismo, consumo excessivo de álcool e tabagismo”, fala Martins. A prevenção é feita através de uma alimentação saudável rica em frutas, verduras, grãos e pouca gordura e carboidratos. Praticar exercício físico regularmente, limitar o uso de bebidas alcoólicas, não fumar e consultar o médico regularmente para revisão dos fatores de risco também ajudam”, conclui Sheila. 

 

Sobre o Museu da Língua Portuguesa
A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa é uma realização do Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo, e do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, concebida e realizada em parceria com a Fundação Roberto Marinho. A EDP é patrocinadora máster e os patrocinadores são Grupo Globo, Itaú Unibanco e Sabesp – todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O apoio é da Fundação Calouste Gulbenkian.     

A Temporada 2021 do Museu conta com patrocínio do Grupo Volvo e do Itaú Unibanco, apoio da Booking.com e do Grupo Ultra e das empresas parceiras Cabot, escritório Mattos Filho, Faber-Castell, Verde Asset Management e Bain&Company. Rádio CBN, Revista Piauí e Guia da Semana são seus parceiros de mídia. O IDBrasil Cultura, Educação e Esporte é a Organização Social responsável pela sua gestão. A Temporada é realizada pelo Ministério do Turismo, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.   


Sobre a Rede Brasil AVC

A Rede Brasil AVC é uma organização não governamental criada em 2008 com a finalidade de melhorar a assistência multidisciplinar ao paciente com AVC em todo o país. É formada por profissionais de diversas áreas que, unidos, lutam para diminuir o número de casos da doença, melhorar o atendimento pré-hospitalar e hospitalar ao paciente, melhorar a prevenção ao AVC, propiciar a reabilitação precoce e reintegração social. Mais informações no site http://www.redebrasilavc.org.br/. 

Sobre a World Stroke Organization (Organização Mundial de AVC)
A World Stroke Organization (Organização Mundial do AVC) é o único órgão global voltado exclusivamente para o AVC. Com cerca de 3.000 membros individuais e 90 membros da sociedade em todas as regiões do mundo, representa mais de 55.000 especialistas em AVC em ambientes clínicos, de pesquisa e comunitários. Mais informações em https://www.world-stroke.org/. 

Sobre o Metrô Social (São Paulo)
O Metrô de São Paulo, que transporta diariamente mais de 5 milhões de passageiros em suas linhas, abre seus espaços nas estações, por meio da ação Metrô Social, para a realização de atividades de prevenção da saúde, empreendedorismo, informações sobre direitos do cidadão, inclusão social e campanhas de utilidade pública. A rede metroviária da cidade de São Paulo é composta por 6 linhas, totalizando 101,1 km de extensão e 89 estações. Mais informações em http://www.metro.sp.gov.br/index.aspx. 

Sobre a SuperVia
A SuperVia opera o serviço de trens urbanos na Região Metropolitana carioca (Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Nilópolis, Mesquita, Queimados, São João de Meriti, Belford Roxo, Japeri, Magé, Paracambi e Guapimirim), através de uma malha ferroviária de 270 quilômetros dividida em cinco ramais, três extensões e 104 estações. Todos os dias, são transportados mais de 600 mil passageiros. Mais informações no site www.supervia.com.br. 

 

 

Translate »
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
 
O conteúdo do nosso site pode ser acessível em Libras usando o VLibras