Museu está na Bienal do Livro; Kalaf Epalanga é um dos convidados

Instituição promove mesas de debate com as participações do escritor timorense Luís Cardoso, do cineasta e escritor brasileiro Cristino Wapichana, do músico angolano Kalaf Epalanga e do historiador brasileiro Cacá Machado, nos dias 6 e 9 de julho

O Museu da Língua Portuguesa, instituição do Governo do Estado de São Paulo, participa da programação da Bienal Internacional do Livro de São Paulo em parceria com o Instituto Camões, promovendo duas mesas de debate. A primeira acontece no dia 6 de julho, no Pavilhão de Portugal, da Expo Center Norte, sede da Bienal, e a outra no dia 9 do mesmo mês no Auditório do Museu da Língua Portuguesa. 

No dia 6, às 15h, o escritor timorense Luís Cardoso e o cineasta e escritor brasileiro Cristino Wapichana estarão reunidos na mesa intitulada “O povo é o inventa-línguas”, na qual falarão sobre literatura e oralidade. Cardoso venceu em 2021 o prestigiado Prêmio Oceanos pelo romance “O Plantador de Abóboras” (Todavia), que traz o relato de uma mulher sobre a história violenta do Timor Leste. Já Wapichana é autor de “A Boca da Noite” (ZIT), vencedor da Estrela de Prata do Prêmio Peter Pan 2018, do International Board on Books for Young People. A obra fala sobre o cotidiano e a criatividade do povo Wapichana.

Com mediação de Marina Toledo, coordenadora do Núcleo Educativo do Museu da Língua Portuguesa, este encontro vai acontecer no Pavilhão de Portugal, da Expo Center Norte, sede da Bienal. Vale lembrar que Portugal é o país homenageado na 26ª edição do evento literário paulistano. O ingresso custa R$ 30 (inteira). 

No dia 9 de julho, às 19h, o Auditório do Museu da Língua Portuguesa será o palco da mesa “Língua e Canção”, que receberá o músico do Buraka Som Sistema e escritor angolano Kalaf Epalanga e o historiador e compositor brasileiro Cacá Machado. Os dois já mergulharam em parte da história musical de seus respectivos países: enquanto Epalanga escreveu sobre o kuduro e a kizomba, por exemplo, Machado esmiuçou as obras de Ernesto Nazareth e Tom Jobim. O título da mesa anuncia o tema que deverá ser trabalhado pelo Museu da Língua Portuguesa em 2023. 

A mediação será de Isa Grinspum Ferraz, curadora especial do Museu. A entrada será gratuita, com ingressos distribuídos na data da realização do evento, na bilheteria, a partir das 16h. Haverá também transmissão on-line do bate-papo pelas redes sociais do Museu. 

Serviço
Mesa “O povo é o inventa-línguas”
Com o escritor Luís Cardoso (Timor Leste) e o cineasta e escritor Cristino Wapichana (Brasil). Mediação de Marina Toledo, coordenadora do Núcleo Educativo do Museu da Língua Portuguesa
Dia 6 de julho, às 15h
No Pavilhão de Portugal, da Expo Center Norte, sede da Bienal
R$ 30 (inteira)
(a mestre em geografia e doutoranda em estudos linguísticos Márcia Kambeba participaria desta mesa, mas precisou ser substituída por Wapichana)

Mesa “Língua e Canção”
Com o músico e escritor Kalaf Epalanga (Angola) e o historiador e compositor Cacá Machado (Brasil). Mediação de Isa Grinspum Ferraz, curadora especial do Museu da Língua Portuguesa.
Dia 9 de julho, às 19h
No Auditório do Museu da Língua Portuguesa e pelas redes sociais do Museu
Grátis (distribuição de ingressos a partir das 16h do dia 9 de julho)  

Museu da Língua Portuguesa
Praça da Luz s/n – Luz – São Paulo
De terça a domingo, das 9h às 16h30 (permanência até 18h)
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Grátis para crianças até 7 anos
Grátis aos sábados
Acesso pelo Portão A (em frente à Pinacoteca)
Venda de ingressos na bilheteria e pela internet

 

Translate »
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
 
O conteúdo do nosso site pode ser acessível em Libras usando o VLibras